16 de mar de 2014

Manual do Jovem Orientista - Dica nr 36.


Dica no 36: Orientação de Precisão – Esporte para todos. 



Orientação de Precisão é uma das quatro disciplinas da orientação internacional, as outras três são Orientação Pedestre, Orientação em Esqui e de Mountain Bike. Originalmente desenvolvida a partir da disciplina de orientação pedestre, a Orientação de Precisão é uma forma de esporte em que os competidores estão limitados a seguir por caminhos e trilhas, e fazem julgamentos sobre prismas colocados em objetos no terreno. Assim, a competição física é eliminada para permitir a participação de competidores com mobilidade reduzida, incluindo aqueles em cadeiras de rodas.


A Orientação de Precisão é aberta a todos, independentemente do sexo, idade ou a mobilidade física. Muitos orientistas ativos e experientes podem participar na Orientação de Precisão e beneficiar-se de várias maneiras. Eles acham que melhora suas habilidades de leitura de mapas e reconhecimento do terreno para a competição em orientação pedestre. Aqueles que fazem mapas encontram ajuda com detalhes de interpretação do terreno. Aqueles que organizam e planejam grandes eventos encontram ajuda na colocação de prismas e nas descrições de pontos de controle. E se estes benefícios específicos não forem motivo suficiente, há outra razão que incentiva orientistas experientes para participar na Orientação de Precisão. Eles são atraídos pelo desafio intelectual que a disciplina oferece.

Orientação de Precisão permite a igualdade de competição entre pessoas com boas condições físicas e outras com mobilidade reduzida, incluindo aqueles com deficiência física severa. É um dos poucos esportes em que a competição desse nível pode ter lugar. O órgão regulador, a Federação Internacional de Orientação (IOF), está consciente do valor dessa competição e tem o cuidado de garantir a sua imparcialidade e qualidade.

Embora a competição de desempenho físico esteja ausente nesta disciplina, ela tem lugar ao ar livre, percorrendo certa distância em terreno que nem sempre é plano. Então, algum esforço físico é necessário para completar o percurso, mas ajuda física é fornecida, quando necessário, para aqueles em cadeiras de rodas de propulsão manual. 

À medida que os competidores se movem ao longo do percurso, eles encontram problemas de orientação que devem ser resolvidos pela leitura cuidadosa do mapa de orientação e combinando-o para as características do terreno. A nível de iniciação os problemas propostos não são complicados e não é essencial ter experiência anterior com a orientação. Em níveis mais elevados de participação, o uso das técnicas de orientação é mais e mais colocado em jogo, e ao mais alto nível em competição internacional, os percursos são extremamente desafiantes e requerem competências técnicas normalmente além daquelas necessárias para a orientação pedestre. Também existem pontos de controle especiais onde um árbitro cronometra o tempo de decisão, que será utilizado como critério de desempate.

Quando a Orientação de Precisão foi originalmente concebida para os competidores com deficiência, era necessário que o foco da atenção estar em incentivar a participação destes. Isto inicialmente deu origem a um equívoco comum que a competição estava confinada a pessoas com deficiência física. Agora é amplamente compreendido que não há essa restrição com a Orientação de Precisão, sendo aberta a todos. Hoje a maioria dos participantes na Orientação de Precisão é fisicamente capaz, com uma ampla gama de experiência e habilidade, incluindo até campeões do mundo de orientação pedestre, todos atraídos por seu desafio técnico específico.

O Campeonato Mundial de Orientação de Precisão (WTOC), realizado pela primeira vez em conjunto com o Campeonato Mundial de Orientação (WOC) na Suécia em 2004, está aberto a todos os interessados (desde que sejam selecionados por suas federações nacionais), independentemente da idade, sexo ou habilidade física. Há também uma categoria "Paraolímpicos", que é fechada e restrita a pessoas com deficiência física, e com aprovação medicamente certificada pela IOF.

Aqueles que entram na Orientação de Precisão com experiência de orientação pedestre têm pouca dificuldade na adaptação para o formato. Os mapas são os mesmos, a linguagem é a mesma e os problemas a serem resolvidos, embora diferentes em alguns aspectos, pertencem claramente à orientação que eles conhecem. A Comissão de Orientação de Precisão da IOF, responsável pela manutenção e desenvolvimento da disciplina, está bem ciente da necessidade de manter esta forte ligação com a orientação pedestre, de modo que as duas versões do esporte possam evoluir. Ainda temos poucos eventos no Brasil, mas é uma modalidade que todos os orientistas devem experimentar quando disponível.


Nenhum comentário:

Postar um comentário